21.8.08

Cantos da Lama

A edição de julho da revista da Livraria Cultura conseguiu unir em uma única reportagem a ciência da bioacústica de anuros com fábula, imaginação e poesia, ainda com histórias maravilhosas da antropologia e da literatura brasileira e internacional. O tema da reportagem é o recente trabalho feito pelo laboratório de herpetologia da Unesp de Rio Claro que produziu guias sonoros de anfíbios anuros do Cerrado e Mata Atlântica. São entrevistados também os herpetólogos Ricardo Ribeiro e Luis Giasson.

20.8.08

Reserva de mercado ou desentendimento geral?

O veto do poder executivo no projeto de lei que visava regulamentar a profisão de ecólogo no Brasil só ressaltou a falta de planejamento e interação entre os ministérios, como também a ausência de criterios para vetar uma profissão cada vez mais necessária para o país. O curso de graduação em ecologia é reconhecido pelo MEC e já existe em diversas instituições federais, estaduais e particulares. Seus formados trabalham em diversas instituições, empresas e até mesmo no governo federal em orgão como Ministério do Meio Ambiente, IBAMA e Embrapa. Sem falar os que são professores de universidades federais por aí vai...
É muito estranho o governo vetar profissionais que estão inseridos no quadro de funcionários do governo, é como o governo vetar a própria politica ambiental, ou até mesmo vetar ecólogos que são professores de cursos ambientais pelo país a fora. Uma situação interessante é que um ecólogo pode ensinar um biólogo ou um engenheiro ambiental (já regulamentados) a trabalhar com um certo tema relacionado ao meio ambiente, no entanto é vetado a exercer o proprio trabalho na qual ele ensina. Sou eu que não entendo mais nada.

Lixo Eletrônico

Recentemente visitei o Blog Lixo Eletrônico que tem como objetivo agregar referências e informações sobre a questão da produção do Lixo Eletrônico no Brasil e no mundo. Muito interessante a iniciativa, ainda mais neste período do qual passamos a prestar mais atenção em impactos globais e esquecemos das questões locais problemáticas como a geração de lixo doméstico e poluição das águas. Situação, incrementada agora, com as tecnologias que se transformam em sucata já nas prateleiras das lojas.